quinta-feira, 4 de julho de 2013

Poeira

Contam passos

Quem não os podem ver


Ouvem pássaros


Quem não os podem tocar


Escrevem, escrevem,

Aqueles que não podem viver.




Pesa o olhar

Quebram-se abraços

Saliniza-se tudo

Sob os olhos de Medusa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário