segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Salvavidas

Para esta classe tenho
o correto envelope:
guardo
dobro
colo
Lanço à decomposição ou às chamas
A indignação
a decepção
a tristeza
não há chama que consuma
ou bactéria que degrade.
Assombram eternamente
veneno que se injeta nos olhos.
Eles se inundam
e não sabem nadar.
Cápsulas absorvem
a inundação,
a indignação
a decepção
e a tristeza.
Mas não fecham as portas dos sonhos
Nem as sentinelas de desconexos

fragmentos de pesadelos.


6 comentários:

  1. Cápsulas milagrosas...

    ;)


    Sensacional!!!

    ResponderExcluir
  2. ... Dadas suas capacidades restritas... é... são milagrosas...rss

    Abraços, obrigada pela visita, Fernando!

    ResponderExcluir
  3. Tem o suficiente para o ano todo? Entrega em domicilio?
    Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Rsss...

    ... Acho que precisamos de uma interminável, inconsumível... infinita como as balas de Loompalândia...rss

    Beijos, Flá!

    ResponderExcluir
  5. ...É precisamos com urgência dessas cápsulas milagrosas, e se não tiver o suficiente para o ano todo, pelo menos o suficiente para o início do ano...

    Giselle,
    você sempre precisa, sempre afinada com o que há de belo e também com os problemas do mundo.Parabéns, seus poemas jamais serão " veneno que se injeta nos olhos".
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Verdade... As coisas boas naquele lugar nunca acabam...

    ResponderExcluir