sábado, 2 de janeiro de 2010

No escuro

Permita-me mostrar
O que na caverna há:
Escuro, suas sombras

Imagens rupestres
Animais de luz própria
Que jamais viram a luz

A água, invisível
Molha e esconde
Restos, fatos e eras

As paredes, intocáveis
Cristalizadas
Montam, esqueletizam
Quebra-cabeças e lixiviações

Mas vá, que lhe mostro...
Entre
Mil novidades há
Onde não há claustrofobia.



2 comentários:

  1. Será que eu ousaria a visitar este lugar? Será que faria algum registro que faria jua ao belo texto? Não sei, mas está lindo.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Flaviele!!!

    ... Tenho certeza de que suas lentes precisas e bem miradas fariam belíssimos registros... rss

    Obrigada pela visita!!!

    ResponderExcluir