sexta-feira, 26 de junho de 2009

Fonte Inesgotável!

Quanto mais se me pede
Muito mais me dou
Pois a fonte não seca
Não é a fonte do que se dá
É a fonte do dar-se.

Dou-me ao despedaçado passado
Ao obscuro futuro
Ao acaso desacreditado
Ao infrutífero florir
- Dessa flor não se terá fruto
- Dessa batalha não existirá vencedor

Nem eu que me dou – sem fonte
Do que, inesgotavelmente, dou
Nem do ovário floral infértil
Nem o soldado a lutar contra
O vento que traz dentro de si.


Nenhum comentário:

Postar um comentário