domingo, 30 de maio de 2010

Ante a vidraça

Meus pensamentos

Telefone.

Ainda vão de encontro aos seus

Como um diálogo

Zunir da moto.

Em que não se ouve a resposta,

Mas se formula a pergunta...

Acreditando que a imaginação

Quebra a parede e emite sons.

Acelera o automóvel.

A continuidade de todos os temas

Nunca foi interrompida

O filhote pardal pia pelos pais.

Se perpetua em poemas não declarados,

Nas inspirações não confessadas.

O bando de bicos-de-lata está no jardim.



Foto by GenkiGenki

2 comentários:

  1. Belos: disposição dos versos (N leituras) e imagens!...

    Os pensamentos são discados... que a linha não esteja ocupada!...

    Abraços carinhosos =)

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nadine!

    ...Pensamentos com linhas ocupadas - ou interrompidas - são comuns, apesar de indesejados, não é?

    Bom seria se todos pudessem fluir sem barreiras - físicas ou imaginárias...

    Abraços, obrigada sempre! :)

    ResponderExcluir