domingo, 21 de setembro de 2014

19:44 - Caetés


A alma estava molhada
ainda que as ondas
não chegassem aos pés.
Com quantos moinhos lutei,
protegendo o indefensável?

Ah, centopéia...
Ah, polidáctila...
Só lhe cortarão as asas!

Tome o chá sem oras,
Deixe que o vento leve a estola.
Verá que ela é quem era!

Apoiava-se sobre o crânio ressequido
de vida, de paixão e de humanidade.

Da forma de corpo
Sombras de hipóteses
Teorias do medo
Solta-se a pele
da víbora nascida.

Peçonha tem formas várias,
até de palavras.
O veneno é que se define pela dose.
Embriago-me de sobriedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário