quarta-feira, 18 de março de 2009

Desconfortável

Havia a mesa, as cadeiras.
E alguém quis sentar-se
E a mesa para um é simplória
E a mesa para dois é forçosa
E a mesa para mais não interessa

E toda a garrafa,
Para um é muito
Para dois talvez
Para mais, uma celebração.

E a palavra,
Para um é loucura
Para dois, desnecessária.
Para mais, exigência.

Mas a porta de saída é próxima
E o teclado mais ainda
E o off não carece de raciocínio
E não existe pesar virtual.
Ele só existe para o que é real.

E a mesa fica para um.
...Ou vazia.

2 comentários:

  1. Puxa, que texto bacanérrimo, por que vc não o posta lá no sarau? Tem semelhanças com Ferreira Gullar. Realmente ele traz , no jogo de palavras, uma sensação de desconforto, muito bem feito e sacado.

    Abçs Gustavo

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Gustavo...
    Sinto-me lisonjeada, uma vez que adoro suas poesias...
    Já postei esse texto, mas em outro tópico...
    Logo, logo escolherei um especial para postar lá!

    Abraços!

    ResponderExcluir